5 de agosto de 2013

O cara da 4° série


Estive pensando em como os fatos inesperados que acontecem em nossas vidas ficam marcados de alguma forma, negativa ou positiva. Na quarta série do ensino fundamental eu era tímida e romântica (na verdade sou até hoje), confesso que era desajeitada também, nunca fui da turma dos super populares nem da turma do fundão, tampouco da turma dos nerds. Vocês devem estar pensando que eu era excluída, mas não. Talvez eu fosse um meio termo. Meus amigos eram legais e eu não os trocaria por nada no mundo. E como não poderia ser diferente, na minha turma também existia um garoto mala, aqueles que você tem vontade de mandar calar a boca toda vez que faz uma piadinha idiota arrancando risadas da sala toda, mas ao invés disso, apenas sorri amarelo e xinga mentalmente.

 E esse garoto mala tinha um melhor amigo que gostava de mim. E eu virei alvo do garoto mala todos os dias por causa disso. Eu por fora bancava a durona, jurava de pés juntos para as minhas amigas que jamais gostaria de um idiota. Pura mentira né? No fundo eu adorava aquela cena, me sentia o máximo por dentro, afinal, alguém gostava de mim do meu jeito e olha que eu não era a garota mais bonita da turma. 

Logo descobri que o garoto bobo também fazia aniversário no mesmo dia que eu, 4 de agosto. E vocês sabem, quando se gosta de alguém, qualquer detalhe que vocês tenham em comum acaba virando um sinal divino pra dizer que vocês realmente foram feitos um pro outro. Eu era sonhadora, não tinha jeito. 

Acreditava em príncipes encantados e felizes para sempre, culpa de todos aqueles contos de fadas. Sentávamos em lados opostos na sala de aula, mas vez ou outra eu acaba desviando o olhar daquela professora chata de matemática e percorria os olhos – discretamente – para o outro lado, parecíamos estar conectados através do pensamento, porque ele também olhava. Olhares tímidos e tão cheios de ternura. Nunca chegamos a conversar por mais de cinco minutos e nunca admitimos um ao outro que nos gostávamos. E assim o ano letivo chegou ao fim, levando com ele o garoto bobo de olhar tímido que havia conquistado um lugar em meu pobre coração. 

Mas sabe o destino? Ele brinca com a gente.

Alguns anos depois, fim do terceiro ano do ensino médio, aquele ano desesperador o qual você precisa decidir o que quer ser no futuro. 3 de dezembro, um sábado ensolarado que tinha tudo pra ser perfeito, se não fosse a tão temida prova de vestibular. Droga, porque não prestei mais atenção naquela aula de física mesmo? E aqueles exercícios de matemática que eu insistia em deixar de lado pra dar uma olhadinha no facebook? Ah se minha mãe pudesse ler meus pensamentos, certamente iria dizer: Eu avisei. Frase típica. Cheguei uma hora antes ao local de prova como era recomendado, comprei uma garrafinha de água e chequei a bolsa mais uma vez para ver se tudo estava em ordem. E lá estava eu com todas aquelas pessoas que tinham o mesmo objetivo que eu. 

Mas no meio de tantos rostos desconhecidos apenas um chamou minha atenção. Estreitei os olhos (alguém aí também é míope?) olhando firme para aquele cara encostado na árvore (e quase cheguei junto pedindo um espaço naquela sombra), tentei buscar lá no fundo da minha memória – muito fraca por sinal – aqueles traços. E como num estalar de dedos, uma luz brilhante piscou sobre minha cabeça. Era ele, minha paixãozinha não assumida da quarta série. Meu coração deu uma pequena acelerada, confesso. E mesmo depois de tanto tempo ele ainda era capaz de abalar minhas estruturas, mas quem foi que permitiu? O tempo passou e finalmente era hora de cada um seguir para a sala de prova que lhe fora destinada e tentar garantir uma vaga na tão desejada universidade. Eu o perdi de vista no meio da multidão, mais uma vez. 

Destino, porque você brinca tanto comigo? Meu pobre coração um dia pode não aguentar viu? Isso mesmo que vocês pensaram, ele e eu estávamos na mesma sala. Tive que conter a euforia e me concentrar naqueles minutos que antecediam a chegada dos envelopes com a tão temida prova. Eu estava sentada na terceira cadeira da quarta fileira, ele na fileira da parede, um pouco atrás. Várias maneiras de abordagem passaram na minha cabeça, sim, naquela altura do campeonato eu queria chegar junto e me apresentar como aquela garota da quarta série que ele gostava. 

Mil possibilidades, uma chance.

 Ele entregou a prova primeiro do que eu, que naquele segundo já estava entrando em desespero com o pouco tempo que ainda restava e o cartão-resposta todo em branco, da exata forma como minha mente se encontrava naquele momento. E assim ele passou pela porta, sem olhar pra trás. Eu sonhadora como nunca, imaginei que o encontraria lá fora, diria meu nome e revelaria que o sentimento fora recíproco naquela época. Nós ficaríamos amigos e quem sabe até engataríamos um romance, agora maduros e prestes a entrar na faculdade. Nada aconteceu e assim como ele apareceu, desapareceu. Não fiquei triste, de forma alguma, convenci meu coração de que era só mais uma peça daquelas que a vida prega. E que aquele garoto da quarta série de certa forma deixou uma marca na minha história, mesmo que tenha sido assim, passageiro.



Comente com o Facebook:

28 comentários:

  1. Ah, sério isso?
    Eu esperava que ele te reconhecesse!!!!!
    Simplesmente amei. E sempre tem algo ou alguém que marque essa época. Aconteceu comigo tbm, mas o carinha n lembrava de mim. Foi triste.
    Amei!
    beijos
    http://oicarolina.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito sério rs Eu queria muito que ele tivesse me reconhecido também, mas não rolou :(

      Obrigada, beijos <3

      Excluir
  2. Ahhh que triste!! rs
    Eu sou boba e sonhadora também, já aconteceu coisas parecidas comigo sabia?
    Achei lindo o seu texto, muito bem escrito, fofo demais!

    Beijos,
    miragem-real.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, então você me entende rs!
      E obrigada <3

      Excluir
  3. Aaaai menina com esse destino todo acontecendo eu teria ido atrás hahaha não é possivel tanta coincidência!

    Beijinhos, Garota Inocente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? Eu poderia ter falado assim que reconheci, mas sei lá, fiquei com medo dele me achar piradinha! rs

      Excluir
  4. Gostei do texto :)

    http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto.
    Beijos

    marinaalessandra.blogspot.com
    @mariinaale

    ResponderExcluir
  6. Ai, o destino adora brincar com a gente, parece que tem momentos que parece que aquilo ocorreu de propósito. Gostei do texto.
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Isso aconteceu comigo esses dias, acredita? Ai senhor haha

    Beijoos, Ana Carolina.
    http://simplesglamour.blogspot.com
    Instagram: @simplesglamour

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Então você sabe exatamente a sensação rs! s2

      Excluir
  8. Ah :( eu também sou toda sonhadora, principalmente quando se trata de: VIDA (em geral). E já aconteceu uma situação parecida comigo, é bem tenso quando acontece. Adorei o texto!

    xx,
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenso mesmo... No meu caso de não ter ido falar com ele e tudo mais, mas acho que não era mesmo pra ser! :(

      Excluir
  9. Obrigada!

    nossa, que história flor..
    É bom ser sonhadora, mas não gosto de sonhar muito alto, dizem que o tombo é muito maior..

    beijos!

    http://pamlepletier.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá floor adorei seus posts são super interessantes e o blog tbm super fofo! :)
    To seguindo akie floor!
    Segue lá por favor! >> http://lohtrendsofme.blogspot.com.br/
    bjuuux e fika com Deus.

    ResponderExcluir
  11. ain, como vc escreve bem *---*
    parabens, eu pasmei :O
    Amei demais!
    É claro que já estou super seguindo e curtindo sua fan page lindona e te
    convido a me seguir tb e curtir a fan page do meu blog. Meu canal do Youtube: tainaheille

    nossoblogdemodaa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. É verídico? Cara, eu ia falar com ele antes da prova, isso não acontece duas vezes rs
    Gatinha estou atualizando o meu canal no youtube com vídeos semanais, visite e se gostar se inscreva, beijinhos.
    Canal: https://www.youtube.com/user/isabelyrogrigues
    Blog: http://fasesdegarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Gostei do texto!

    ceuemdegrade.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Tem sempre aquele carinha da quarta série que marca, ne?
    Adorei o texto.

    www.iasmincruz.com

    ResponderExcluir
  15. Lindo, lindo amei!

    http://deliriosdeumcloset.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Me identifiquei tanto!!!

    "E vocês sabem, quando se gosta de alguém, qualquer detalhe que vocês tenham em comum acaba virando um sinal divino pra dizer que vocês realmente foram feitos um pro outro. Eu era sonhadora, não tinha jeito."
    Muito real essa parte rs

    Adolecentro

    ResponderExcluir
  17. Lindo texto, consegui me identificar bastante.
    "Destino, porque você brinca tanto comigo?" tá ai uma coisa que eu també queria saber :(
    Beijos ♥

    Dearitgirl.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Isso aconteceu comigo faz uns 4 meses, vi o garoto com quem tive o meu primeiro beijo há 7 anos e nos reconhecemos, mas não tivemos coragem de falar um com o outro. Curti muito o texto :)

    Beijos - http://heytutty.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. So amazing blog dear! ;-)))
    http://placeforlady.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Vou amar ler todos os comentários postados aqui no blog, respondei todos assim que puder, agradeço sua visita :)


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©